Imagem Interna Banner WEBP_Mitos e Verdades Sobre Diabete

15 Mitos e Verdades sobre a Diabetes

mitos e verdades sobre diabetes

Doce como mel, amarga como fel, a Diabetes Mellitus é uma doença complexa, que tece uma teia de desinformação a partir de mitos e crenças que se proliferam como ervas daninhas, obscurecendo a verdade e dificultando o controle da doença.

Neste artigo, embarcaremos em uma jornada para desmascarar os mitos e verdades sobre diabetes.

Confira abaixo algumas dúvidas específicas em relação à diabetes e saiba quais alimentos evitar e quais estão liberados em uma dieta para diabetes.

1. Quem tem diabetes pode tomar Coca-Cola Zero

diabetes pode tomar coca zero

Sim, pessoas com diabetes podem tomar Coca-Cola Zero, bem como qualquer outro refrigerante zero açúcar ou comum. O cuidado está sempre na moderação!

Poderíamos abordar essa questão relativa a todos os refrigerantes zero açúcar, mas a Coca-Cola Zero é a campeã da dúvida dentre os mitos e verdades sobre diabetes. Por isso, falaremos sobre o produto como exemplo.

Como já explicamos no artigo sobre Alimentos para Diabéticos, não existe uma lista única de alimentos ou bebidas restritos para quem tem diabetes. A grande questão está no controle da diabetes através da medição da glicemia, dos hábitos alimentares, prática de atividades físicas e das necessidades individuais.

Por exemplo: em casos de hipoglicemia, a Coca Zero não ajuda em nada, enquanto que um copo com 150 ml de Coca-Cola tradicional pode até salvar a vida de uma pessoa com diabetes, justamente por conta do açúcar.

O que diz a Coca-Cola?

A Coca-Cola afirma que "utiliza apenas adoçantes testados em estudos científicos e confirmados como seguros por autoridades reconhecidas globalmente".

Ainda, de acordo com o site da Coca-Cola, especialistas, incluindo da American Diabetes Association e a Associação Nacional de Assistência ao Diabetes, que revisaram a pesquisa sobre este tópico, evidenciaram que os adoçantes em seus produtos podem ser consumidor por pessoas com diabetes.

O mito do sódio

"Ah, mas Coca-Cola Zero Açúcar faz mal, porque tem muito mais sódio!"

É muito comum e recorrente o argumento quanto à quantidade de sódio elevada presente na Coca-Cola Zero, como sendo este o grande vilão da bebida (mais um item para a lista de mitos e verdades sobre diabetes).

Será mesmo? Vamos analisar!

A quantidade de sódio presente em 200 ml (o equivalente a 1 copo) de Coca-Cola é:

  • Coca-Cola Tradicional: 10 mg
  • Coca-Cola Zero: 28 mg

Pois é. A Coca-Cola Zero tem quase três vezes mais sódio do que a tradicional.

informações nutricionais da Coca-Cola Zero sem açúcar
Informações Nutricionais da Coca-Cola Zero Açúcar

Mas você sabe quanto tem de sódio em uma pitada de sal? Vamos tomar como base um sachê de sal individual, daqueles que entregam em restaurantes, geralmente para temperar a salada.

Pasme! A resposta é: 1 grama. Parece pouco, mas estamos falando de MIL miligramas! (Mais de 35 vezes o valor de um copo de Coca Zero).

Conclusão

Ou seja, levando em consideração que a quantidade total de sódio indicada para consumo diário para adultos seja de até 2.300mg, ainda que a Coca Zero tenha quase o triplo de sódio em relação à tradicional, o valor ainda é irrelevante quanto aos níveis indicados para consumo.

Em outras palavras, uma lata de Coca-Cola Zero 350ml contém 49mg de sódio, fornecendo cerca de 2,13% da ingestão diária recomendada de sódio para adultos. Você é capaz de tomar 47 latas de Coca-Cola Zero por dia?

Precauções

Por não conter açúcar, a Coca-Cola Zero não aumenta os níveis de glicose no sangue. Contudo, há ainda algumas precauções quanto ao consumo da bebida:

  • Edulcorantes artificiais: A Coca-Cola Zero contém edulcorantes artificiais, que podem ter efeitos negativos na saúde quando consumidos em grandes quantidades.
  • Cafeína: A Coca-Cola Zero contém cafeína, que pode aumentar a pressão arterial e causar insônia em algumas pessoas.
  • Consumo excessivo: O consumo excessivo de qualquer bebida gaseificada, incluindo a Coca-Cola Zero, pode ser prejudicial à saúde.

Também é fundamental seguir algumas recomendações básicas quanto ao consumo de alimentos e bebidas para evitar problemas de saúde.

Recomendações

  • Consuma Coca-Cola Zero com moderação.
  • Monitore os níveis de glicose no sangue após beber Coca-Cola Zero.
  • Escolha outras opções de bebidas saudáveis, como água, chá e suco natural sem açúcar.
  • Converse com seu médico ou nutricionista sobre a quantidade ideal de Coca-Cola Zero para você.

Por fim, deixamos claro que refrigerantes possuem pouquíssimos nutrientes, são ricos em açúcar ou adoçantes artificiais, calorias e aditivos químicos, como corantes, conservantes e aromatizantes.

O consumo excessivo de refrigerantes pode levar a diversos problemas de saúde, como, obesidade, diabetes tipo 2, doenças cardíacas, derrame, cáries dentárias, osteoporose, gota e até alguns tipos de câncer.

Por isso, é importante moderar o consumo de refrigerantes e optar por bebidas mais saudáveis, como água, sucos naturais e água de coco sem adição de açúcar — você pode encontrar todas essas alternativas na Coop Supermercado Online!

2. Insulina vicia

insulina vicia

Dentre os mitos e verdades sobre diabetes, há quem defenda que a aplicação de insulina pode levar à dependência física e/ou psicológica, além do aumento de peso. Será?

A insulina é um hormônio produzido naturalmente pelo corpo humano, e tem como função essencial transformar o açúcar no sangue (glicose) em energia.

Para quem tem diabetes tipo 1 ou tipo 2 avançado, a aplicação de insulina é questão de sobrevivência, justamente para controlar os níveis de glicemia, uma vez que seus corpos não produzem insulina suficiente ou não a utilizam de forma adequada.

Ou seja, essa história de que a insulina vicia é mito!

Mas, e quanto ao aumento de peso?

A insulina não leva ao aumento de peso. Pelo contrário, a falta de controle da diabetes pode levar ao aumento de peso, já que o corpo não consegue usar o açúcar como energia e o armazena como gordura.

A quantidade de insulina prescrita pelo médico para pessoas com diabetes é individualizada e calculada de acordo com as metas glicêmicas a serem atingidas por cada paciente.

3. Pessoas com diabetes não podem doar sangue

quem tem diabetes pode doar sangue

Sobre pessoas com diabetes poderem doar sangue, a resposta é: Depende.

Na lista de mitos e verdades sobre diabetes, existem casos que variam de acordo com a situação em análise. Essa é uma delas.

Pessoas com diabetes tipo 1 ou tipo 2 em uso de insulina não podem ser doadoras. Agora, se os valores glicêmicos estiverem normalizados e não houver uso de insulina ou outros medicamentos que comprometam o sangue, não há restrições quanto a doação.

Para doar sangue, pessoas com diabetes tipos 1 e 2 devem:

  • Estar com o diabetes bem controlado: Isso significa ter níveis de glicemia dentro dos limites recomendados pelo médico e não apresentar nenhuma complicação grave do diabetes, como problemas renais, cardiovasculares ou oculares.
  • Não usar insulina: Pessoas com diabetes tipo 1 que usam insulina não podem doar sangue. Já pessoas com diabetes tipo 2 que não utilizam insulina para controlar a doença podem doar, desde que estejam com o diabetes bem controlado.
  • Informar a equipe de coleta sobre o diabetes e os medicamentos que toma: É importante que a equipe de coleta de sangue esteja ciente do diabetes e dos medicamentos que o doador toma, para que possa avaliar se a doação é segura.

Recomendações adicionais:

  • Pessoas com diabetes, que desejam doar sangue, devem conversar com seu médico para verificar se estão aptas.
  • É importante manter os níveis de glicemia sob controle antes e depois da doação de sangue.
  • Diabéticos que doam sangue devem se hidratar bem e se alimentar de forma saudável antes e depois da doação.

Em caso de dúvidas, consulte um médico ou um profissional de saúde especializado em diabetes.

4. Alguns alimentos podem causar diabetes

alimentos que causam diabetes

Aqui depende do quão literalmente você é. Este é um caso em que os mitos e verdades sobre diabetes surgem a partir da interpretação.

Alguns alimentos podem, sim, aumentar o risco de desenvolver diabetes tipo 2, especialmente quando consumidos em excesso e somados a outros fatores, como o tabagismo e/ou sedentarismo.

Confira aqui: Alimentos para Diabéticos: Guia Essencial para uma Dieta Saudável

O que também não significa que o consumo desses alimentos em qualquer quantidade ou sob qualquer contexto cause diabetes.

Ou seja, a má alimentação pode aumentar o risco de desenvolver diabetes, mas não é exatamente uma regra. Ainda assim, é muito importante ter atenção a quais alimentos podem elevar os riscos de desenvolver diabetes tipo 2 a fim de prevenir o desenvolvimento da doença.

5. Consumo de adoçantes pode causar diabetes

adoçante para diabeticos

Mito (por enquanto). Um estudo publicado pela Nature, um dos maiores grupos de publicação científica do mundo, sugere uma possível ligação entre o consumo de adoçantes artificiais e o desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Contudo, o estudo é observacional e não há provas de que adoçantes artificiais causam diabetes. A relação entre o consumo de adoçantes e o desenvolvimento de diabetes é complexa e ainda está sendo estudada por cientistas.

Fatores como dieta, estilo de vida e genética também podem influenciar o risco de diabetes. Portanto, ainda não é possível afirmar que o consumo de adoçantes tenha ligação direta com o desenvolvimento da diabetes.

6. Alimentos e Bebidas Diet estão liberados para quem tem diabetes

Produtos Zero Açúcar Coop Supermercado Online
Confira a seleção completa de produtos Zero Açúcar na Coop Supermercado Online!

Não exatamente. Apesar de serem uma opção, os alimentos e bebidas diet podem conter carboidratos, que engordam e que também alteram a glicemia.

O termo "diet" (do inglês "dieta") pode ter diferentes significados, como "sem açúcar", "baixo teor de calorias" ou "baixo teor de gordura". Por isso, é extremamente importante ler atentamente o rótulo dos produtos para entender o que realmente significa "diet" em cada caso.

Também é importante comparar o valor nutricional de produtos "diet" com suas versões tradicionais para verificar se realmente há vantagem.

7. Quem tem diabetes pode comer Tapioca?

quem tem diabetes pode comer tapioca

Curiosamente, o universo dos mitos e verdades sobre diabetes está repleto de dúvidas quanto ao consumo de pratos específicos e a tapioca é líder desse ranking.

Sim, quem tem diabetes podem comer tapioca em sua dieta, mas com moderação, como parte de um plano alimentar individualizado e equilibrado, sob a orientação de um médico ou nutricionista.

Isso porque a tapioca possui alto índice glicêmico (IG), é rica em carboidratos e pobre em fibras.

Ou seja, a tapioca não é o alimento mais indicado para um cardápio para pessoas com diabetes.

Contudo, é possível consumir em pequenas porções, como 1 a 2 colheres de sopa por dia, preferencialmente combinando com alimentos ricos em fibras, como legumes, verduras e saladas, para ajudar a controlar a absorção de açúcar.

Também é preferível evitar recheios doces e monitorar glicemia antes e após o consumo para verificar a resposta individual.

8. Comer beterraba aumenta a glicemia

diabetico pode comer beterraba

Embora seja doce e considerada por muitos como vilã, a beterraba possui baixo índice glicêmico (IG) e não causa o aumento da glicemia, quando consumida com moderação.

A beterraba contém carboidratos, que podem ser convertidos em glicose no sangue. No entanto, ela também possui fibras que retardam a absorção de glicose.

Isso significa que, mesmo que a beterraba aumente a glicose no sangue, o efeito é geralmente leve e gradual, podendo inclusive auxiliar no controle da glicemia em pessoas com diabetes. Talvez seja este o motivo que leve o consumo de beterraba a permear os mitos e verdades sobre diabetes.

Na verdade, a beterraba é rica em vitaminas A, C, B9, potássio e fibras, e possui propriedades benéficas, como auxiliar no controle da pressão arterial e melhorar a saúde cardiovascular.

Quando consumida com moderação, a beterraba aumenta a sensibilidade à insulina, o que por sua vez diminui o açúcar no sangue — mais um benefício para pessoas com diabetes.

9. Creatina ajuda a controlar a glicemia

diabetes pode tomar creatina

Atualmente, não é possível dizer muito sobre o papel da creatina dentre os mitos e verdades sobre diabetes, pois, embora hajam estudos, ainda não há comprovações científicas sobre seu consumo em relação ao controle de glicemia.

Ainda assim, é válido mencionar que alguns estudos sugerem que a creatina pode ajudar a controlar a glicemia em pessoas com diabetes tipo 2, reduzindo os níveis de glicemia entre 15% a 20% quando comparados a pessoas com diabetes não suplementadas.

De acordo com estudos, a creatina pode:

  • Melhorar a sensibilidade à insulina: A creatina pode ajudar as células do corpo a responderem melhor à insulina, o que facilita a absorção da glicose do sangue pelas células.
  • Aumentar a massa muscular: A creatina pode ajudar a aumentar a massa muscular, o que pode ajudar a melhorar o controle glicêmico, pois os músculos são um importante local de armazenamento de glicose.
  • Reduzir a inflamação: A creatina pode ajudar a reduzir a inflamação, que é um fator de risco para o diabetes tipo 2.

No entanto, é importante ressaltar que:

  • Mais pesquisas são necessárias para confirmar os benefícios da creatina para o controle glicêmico.
  • A creatina não é um substituto para o tratamento convencional do diabetes.
  • Pessoas com diabetes que desejam tomar creatina devem consultar um médico ou nutricionista antes de iniciar a suplementação.
Produtos para Diabéticos Coop Drogaria Online 03

Confiras Medicamentos para Diabetes na Coop Drogaria Online

10. Quem tem diabetes não pode consumir bebida alcoólica

quem tem diabete pode beber bebida alcoólica

Como já explicamos em outros casos de mitos e verdades sobre diabetes, não existem restrições quanto ao consumo de alimentos ou bebidas específicos para quem tem diabetes, mas sim quanto à moderação. Logo, essa história de que quem tem diabetes não pode consumir bebida alcoólica é mito.

Ainda assim, o consumo de bebidas alcoólicas por pessoas com diabetes é um assunto complexo e que deve ser discutido com um médico ou nutricionista.

Alguns pontos importantes a serem considerados:

  • Risco de hipoglicemia: O álcool pode causar hipoglicemia, especialmente em pessoas que tomam medicamentos para diabetes, como insulina ou sulfonilureias.
  • Controle glicêmico: O álcool pode interferir no controle glicêmico, dificultando o controle do diabetes.
  • Calorias: As bebidas alcoólicas são calóricas e podem contribuir para o ganho de peso, o que pode dificultar o controle do diabetes.
  • Complicações: O consumo excessivo de álcool pode aumentar o risco de complicações do diabetes, como doenças cardíacas, derrames e danos aos nervos.

Recomendações:

  • Pessoas com diabetes que desejam consumir bebidas alcoólicas devem fazê-lo com moderação.
  • É importante monitorar os níveis de glicose no sangue com frequência ao consumir bebidas alcoólicas.
  • Comer antes ou durante o consumo de bebidas alcoólicas pode ajudar a prevenir a hipoglicemia.
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas com o estômago vazio.
  • Pessoas com diabetes que apresentam complicações da doença devem evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

11. Chá ajuda a controlar diabetes

chá para diabetes

A pergunta certa é: Qual chá?

O consumo de alguns chás pode auxiliar no controle da glicemia em pessoas com diabetes, mas não é um substituto para o tratamento médico adequado. Diversos estudos científicos investigam a relação entre diferentes tipos de chá e seus efeitos na glicemia.

Alguns estudos sugerem que o chá pode:

  • Melhorar a sensibilidade à insulina: A insulina é um hormônio que ajuda o corpo a absorver a glicose do sangue. O chá pode ajudar as células do corpo a responderem melhor à insulina, o que facilita a absorção da glicose do sangue pelas células.
  • Reduzir a inflamação: A inflamação é um fator de risco para o diabetes tipo 2. O chá pode ajudar a reduzir a inflamação no corpo.
  • Ajudar a controlar o peso: O excesso de peso é um fator de risco para o diabetes tipo 2. O chá pode ajudar a controlar o peso, pois pode aumentar a saciedade e reduzir o apetite.
Alimentos para Diabéticos Chá Verde Coop Supermercado

Alguns dos chás mais estudados para o controle da diabetes incluem:

  • Chá de canela: A canela possui propriedades que melhoram a sensibilidade à insulina e reduzem a glicemia.
  • Chá verde: O chá verde é rico em catequinas, antioxidantes que auxiliam no controle da glicemia e na prevenção de complicações do diabetes.
  • Chá de camomila: A camomila possui propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes que podem melhorar a saúde cardiovascular e reduzir o risco de complicações do diabetes.
  • Chá de hibisco: O hibisco possui propriedades diuréticas e hipotensoras que podem auxiliar no controle da pressão arterial e reduzir o risco de complicações do diabetes.

Os efeitos dos chás na glicemia variam de pessoa para pessoa. O consumo excessivo de alguns chás pode ter efeitos colaterais. É importante consultar um médico ou nutricionista antes de iniciar o consumo regular de qualquer chá.

12. O preparo dos alimentos altera o índice glicêmico?

preparo dos alimentos e índice glicêmico

Verdade! Como vimos no artigo sobre Alimentos para Diabéticos, o modo de preparo altera o índice glicêmico dos alimentos.

Inclusive, o desconhecimento sobre esse fato acaba dando margem para a criação de outros mitos e verdades sobre diabetes, como, por exemplo, afirmar que a batata doce tem alto índice glicêmico. Nem sempre!

Observe: A batata doce cozida apresenta baixo índice glicêmico (IG = 46). Já frita ou assada, a batata doce apresenta alto índice glicêmico (IG = 94 e 77, respectivamente).

Recomendações para reduzir o IG:

  • Cozinhe os alimentos por um período mais curto.
  • Evite triturar ou moer os alimentos.
  • Consuma alimentos frescos e evite alimentos processados.
  • Evite adicionar açúcares, mel ou outros adoçantes aos alimentos.
  • Consuma frutas com frescas e com casca.

Lembre-se: o IG é apenas um dos fatores que influenciam os níveis de glicose no sangue. Outros fatores como a quantidade de alimento consumida e a combinação com outros alimentos também são importantes.

13. Diabete causa cegueira

cegueira diabetes

Infelizmente, é verdade. A diabetes pode causar cegueira, mas é importante ressaltar que essa é uma complicação evitável.

A principal causa de cegueira relacionada à diabetes é a retinopatia diabética, uma doença que afeta os vasos sanguíneos da retina (parte do olho responsável pela visão).

Fatores de risco para a retinopatia diabética:

  • Controle glicêmico: Níveis elevados de glicose no sangue por um longo período aumentam o risco de desenvolver retinopatia diabética.
  • Tempo de diabetes: Quanto mais tempo a pessoa tem diabetes, maior o risco de desenvolver retinopatia diabética.
  • Hipertensão arterial: A hipertensão arterial pode aumentar o risco de desenvolver retinopatia diabética e acelerar sua progressão.
  • Dislipidemia: Níveis elevados de colesterol e triglicerídeos no sangue podem aumentar o risco de desenvolver retinopatia diabética.
  • Gravidez: Mulheres com diabetes que engravidam têm um risco maior de desenvolver retinopatia diabética.

Sintomas da retinopatia diabética:

  • Visão embaçada: Esse é o sintoma mais comum da retinopatia diabética.
  • Manchas pretas no campo de visão: Essas manchas podem ser causadas por hemorragias nos vasos sanguíneos da retina.
  • Visão dupla: Esse sintoma pode ser causado por edema macular, que é o acúmulo de líquido na retina.
  • Perda de visão central: Esse sintoma pode ser causado por isquemia macular, que é a falta de sangue na retina.

Prevenção da cegueira por diabetes:

  • Controle rigoroso da glicemia: Manter os níveis de glicose no sangue sob controle é a melhor maneira de prevenir a retinopatia diabética e outras complicações da diabetes.
  • Exames oftalmológicos regulares: Pessoas com diabetes devem fazer exames oftalmológicos pelo menos uma vez ao ano, mesmo que não estejam apresentando sintomas de retinopatia diabética.
  • Tratamento precoce da retinopatia diabética: O tratamento precoce da retinopatia diabética pode ajudar a prevenir a perda de visão.

Lembre-se: a diabetes é uma doença séria, mas com acompanhamento médico adequado e controle rigoroso da glicemia, é possível prevenir a cegueira e outras complicações.

14. Fumar pode causar diabetes

cigarro causa diabetes

Sim, fumar é um fator de risco para o desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Não bastassem todos os malefícios causados pelo cigarro, estudos científicos comprovam que fumantes apresentam um risco 30% a 40% maior de desenvolver diabetes tipo 2 do que não fumantes.

Como fumar aumenta o risco de diabetes:

  • A nicotina presente nos cigarros danifica as células do pâncreas, que são responsáveis pela produção de insulina.
  • A nicotina também aumenta a resistência à insulina, um hormônio que ajuda o corpo a utilizar a glicose como fonte de energia.
  • O tabagismo também contribui para a inflamação crônica, que é um fator de risco para o desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Outras consequências do tabagismo para pessoas com diabetes:

  • Aumenta o risco de complicações da diabetes, como doenças cardíacas, derrames, doenças renais e amputações.
  • Dificulta o controle glicêmico.
  • Aumenta o risco de cegueira.
  • Aumenta o risco de morte.

Parar de fumar é a melhor maneira de reduzir o risco de diabetes e suas complicações.

15. Diabete causa dormência nos pés e nas mãos

pé dormente diabetes

Sim, a diabetes pode causar dormência nos pés e nas mãos, principalmente se não for bem controlada. Essa dormência é um sintoma da neuropatia diabética, uma complicação da diabetes que afeta os nervos.

Causas da dormência nos pés e nas mãos:

  • Níveis elevados de glicose no sangue danificam os nervos ao longo do tempo.
  • A diabetes também pode causar problemas na circulação sanguínea, o que pode levar à falta de oxigênio nos nervos.
  • Outras causas da dormência nos pés e nas mãos em pessoas com diabetes podem ser a hipertensão arterial, o tabagismo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Sintomas da neuropatia diabética:

  • Dormência, formigamento, queimação, dor ou fraqueza nos pés e nas mãos
  • Sensação de agulhadas nos pés e nas mãos
  • Perda de sensibilidade ao toque, temperatura e dor
  • Dificuldade em caminhar ou em manter o equilíbrio
  • Problemas com a digestão
  • Problemas com a função sexual

Prevenção da dormência nos pés e nas mãos:

  • Controle rigorosamente a glicemia
  • Mantenha a pressão arterial sob controle
  • Pare de fumar
  • Evite o consumo excessivo de bebidas alcoólicas
  • Pratique exercícios físicos regularmente
  • Siga uma dieta para diabetes acompanhada de nutricionista
  • Faça exames regulares com um médico

Tratamento da dormência nos pés e nas mãos:

O tratamento da dormência nos pés e nas mãos depende da causa. Em alguns casos, medicamentos podem ser usados para aliviar os sintomas. Fisioterapia e terapia ocupacional também podem ser úteis

Lembre-se: a dormência nos pés e nas mãos pode ser um sintoma grave da diabetes. Se você estiver com esses sintomas, é importante consultar um médico o mais rápido possível.

Considerações Finais

As informações apresentadas neste artigo foram baseadas em dúvidas reais quanto a mitos e verdades sobre diabetes.

Cecilia Melo Siqueira nutricionista Coop
Cecilia Melo Siqueira, Nutricionista e Supervisor de Segurança de Alimentos da Coop

Todas as informações presentes neste conteúdo foram verificadas e validadas pela Nutricionista e Supervisor de Segurança de Alimentos da Coop — Cooperativa de Consumo, Cecilia Melo Siqueira.

Imagens exibidas neste artigo são meramente ilustrativas.

Deixe nos comentários!

E aí, ficou em dúvida sobre alguma outra questão relacionada a mitos e verdades sobre diabetes que não citamos? Deixe nos comentários! Juntos, caminhamos rumo à transformação!

Veja também

Compre online